Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ África

Guiné-Bissau: José Mário Vaz pede implementação do Acordo de Bissau

Presidente José Mário Vaz - AFP

09/11/2017 16:53

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz pediu esta quarta-feira aos políticos guineenses o cumprimento do "Acordo de Bissau" para a saída da crise que assola o País.

O "Acordo de Bissau" é um acordo anterior ao de Conacri ... assinado entre guineenses, e prevê a "constituição de um governo de unidade com todos os partidos representados no Parlamento para que haja a estabilidade até ao fim da legislatura em 2018.

O apelo do Presidente da República vem expresso num comunicado do gabinete do Presidente distribuído aos órgãos da comunicação social esta quarta-feira, um dia depois de José Mário Vaz ter regressado de uma visita aos Campos Agrícolas do País.

No documento, José Mário Vaz apelou a todos os guineenses, particularmente "aos políticos, a se aproveitarem desse ambiente de fraternidade e, sem violência, sem ameaças nem ultimatos, para aplicarem o acordo de Bissau".

Mas o Chefe do Estado não ficou por aqui. Lançou um "vibrante apelo" a duas grandes instituições da Guiné-Bissau.

Ao PAIGC pediu que "abra os seus braços e as portas da sua sede para promover a reconciliação interna e oferecer uma oportunidade de paz social ao povo" e à Assembleia Nacional Popular para que  "abra as suas portas para pôr fim ao bloqueio institucional que condiciona fortemente o funcionamento do Estado".

A Guiné-Bissau vive numa crise profunda há mais de dois anos e que a levou a ter desde 2014 cinco Primeiros-ministros e ao fecho do Parlamento.

O actual governo liderado por Umaro Sissoco Embaló tem o apoio do PRS, a segunda força política do País.

Indira Correia Baldé em  Bissau 

09/11/2017 16:53