Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Europa

Moçambique: Detidos mais de 100 radicais pelos ataques em Mocímboa

Mocambique

03/11/2017 15:29

A Procuradoria, ao nível da província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, confirma a detenção de mais 100 membros do grupo radical que em princípios do mês de Outubro findo, atacou três unidades policiais em Mocímboa da Praia, tendo dos confrontos sido registados mortes tanto do lado da polícia quanto dos atacantes.

Operações "caça ao homem" culminam com detenções

Segundo informações daquele órgão, destes detidos, pelo menos 50 já estão com a sua situação prisional legalizada. 

“Neste momento, temos acima de 100 indivíduos detidos e já foi possível legalizar acima de 50 processos”, refere a Procuradoria provincial de Cabo Delgado, à margem de um encontro de procuradores provinciais, que teve lugar, recentemente, naquela parcela do país.

Ainda de acordo com a fonte, a maioria dos detidos são cidadãos moçambicanos, mas há também alguns estrangeiros envolvidos. “Existem alguns estrangeiros, mas em número não considerável. A maior parte dos que estão presos são moçambicanos, incluindo algumas mulheres”, acrescenta.

Salvaguardar a defesa dos detidos

A Procuradoria provincial justifica o desequilíbrio entre o número de detidos e os processos de legalização com a necessidade de dar espaço para que todos os detidos tenham os seus direitos de defesa salvaguardados.

A procuradoria diz que os recentes ataques em Mocímboa da Praia não são, de todo, uma surpresa em Cabo Delgado, tendo já havido casos do género naquele ponto do país.

“Já tivemos casos similares em Chiúre. Nessa altura, tivemos casos de indivíduos que usavam a religião para convencer as pessoas a praticarem determinados actos que quanto a nós são contrários à ordem instituída na República de Moçambique e nessa altura houve processos concretos instaurados e tivemos indivíduos detidos, julgados e condenados”, assegurou a fonte.

Polícia confirma 14 atacantes e dois agentes mortos

Entretanto, a Polícia da República de Moçambique (PRM) confirmou à imprensa que dos confrontos armados de dois dias, foram mortos 14 atacantes radicais e dois agentes da Polícia.

De referir que, a vida retomou à normalidade em Mocímboa da Praia, logo a seguir a neutralização dos membros do grupo radical.

Hermínio José, Maputo

03/11/2017 15:29