Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Discursos

A vida é uma caminhada que se faz com os outros - Papa aos coreanos

- ANSA

02/09/2017 17:14

Neste sábado 2 de Setembro, o Papa Francisco teve seis audiências sucessivas. Começou às 10 horas recebendo o Cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congregação para os Bispos; depois foi a vez do Embaixador da Itália junto da Santa Sé, com a esposa, em visita de despedida; seguido, separadamente, de três Núncios Apostólicos, em Cuba, Equador, e Japão. Finalmente, os membro da “Conselho dos Líderes Religiosos da Korea”, vindos a Roma em peregrinação inter-religiosa acompanhados pelo bispo Kim Hee-Jong.

Nas palavras que lhes dirigiu, o Papa Francisco evocou a sua viagem a Seoul, em 2014, em que sublinhara que “a vida é um caminho, um caminho longo, mas um caminho que não se pode percorre sozinhos. É preciso fazê-lo com os irmãos na presença de Deus”.

Francisco indicou que sobretudo a partir do Concilio Vaticano II a Igreja não se cansa de caminhar pelas sendas, nem sempre fáceis, do dialogo e de promover o diálogo entre sequazes doutras religiões, exortando os seus filhos a reconhecerem os valores espirituais, morais e socioculturais que encontram nessas outras religiões. O diálogo inter-religioso feito de encontros, contactos e colaborações é, por conseguinte, uma tarefa preciosa e agradável a Deus, um desafio orientado para o bem comum e a paz.

Mas para que o diálogo seja frutuoso – disse o Papa – deve ser aberto e respeitoso ao mesmo tempo. O mundo nos exorta a colaborarmos entre nós e com todos e nos pede respostas e empenhos partilhados na defesa da vida, no combate à fome e à pobreza, na recusa da violência, a corrupção, a injustiça, e assim por diante.

Temos, portanto, disse-lhes o Papa um caminho muito longo a percorrer com humildade e constância para semear esperança e ajudar o homem a ser mais humano.

Este encontro nos confirma nesta caminhada – rematou Francisco – agradecendo a Deus pelo dom de ter podido visitar a Coreia do Sul e de conservar belas recordações dessa visita. 

(DA) 

02/09/2017 17:14