Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Celebrações

Papa Francisco: mensagem do Ângelus

- ANSA

20/08/2017 18:05

Cidade do Vaticano (RV) – Hoje, domingo, dia 20 de Agosto de 2017, o Papa Francisco celebrou, às 12 horas de Roma, a oração mariana do Ângelus, na Praça de S. Pedro repleta de fiéis e peregrinos provenientes de diversas partes da Itália e do mundo.

O Evangelho deste domingo, disse o Papa, apresenta-nos um exemplo particular de fé no encontro de Jesus com uma mulher cananeia, uma estrangeira em relação aos judeus. O evento acontece enquanto a mulher cananeia estava a caminho em direcção à cidade de Tiro e Sidónia, em direcção portanto à parte norte ocidental da Galileia: é precisamente aqui que a mulher implora a Jesus de curar a sua filha que “está cruelmente atormentada por um demónio”.

Jesus, acrescenta o Santo Padre, num primeiro momento, parece indiferente ao grito de dor da mulher cananeia, o que levou a intervenção dos discípulos que procuram interceder em favor da mulher. No entanto, esta aparência de descarte por parte de Jesus, não desencorajou a mulher cananeia, que pelo contrário insistiu no seu pedido.

A força interior desta mulher que permite superar todos os obstáculos, deve ser procurada no seu amor materno e na fé que Jesus pode realizar o seu pedido. Podemos dizer que é o amor que movimenta a fé, e a fé por sua vez se torna o prémio do amor. O amor para com a própria filha a leva a gritar: “Senhor, Filho de David, tem compaixão de mim”. E a fé perseverante em Jesus consente a mulher de não se desencorajar perante ao inicial gesto de recusa de Jesus. Assim, a mulher prostrou-se diante de Jesus dizendo: “Socorre-me, Senhor”.

Finalmente, observou ainda Francisco, perante tanta perseverança da mulher, Jesus exprime a sua admiração e surpresa por esta grande fé manifestada por essa mulher pagã. Ele então aceita o seu pedido dizendo: “ Mulher, é grande a tua fé. Faça-se como desejas”. E então a partir daquele momento, a sua filha ficou curada.

Ora, acrescentou o Santo Padre, esta mulher humilde é-nos hoje indicada por Jesus como exemplo de fé perseverante. A sua insistência em invocar a intervenção de Cristo é para nós um estímulo a não desencorajarmo-nos, a não desesperarmo-nos quando estamos oprimidos por provas duras da vida. O Senhor nunca nos vira as costas perante as nossas necessidades, e se por vezes parece insensível ao nosso grito de ajuda , é simplesmente para nos colocar à prova e tornar mais robusta a nossa fé.

Este episódio evangélico ajuda-nos a compreender que todos  temos necessidade de crescer na fé e fortalecer a nossa fé em Jesus. Ele pode ajudar-nos a re-encontrar a vida, todas as vezes que perdemos com a bússola do nosso caminho, quando a estrada parece cheia de obstáculos, árdua: quando custa muito ser fiel aos nossos empenhos. É importante alimentar cada dia a nossa fé mediante a escuta atenta da Palavra de Deus, mediante a celebração dos Sacramentos, a oração pessoal como nosso “grito” à Jesus e através de atitudes concretos de caridade para com o nosso próximo.

Por isso, disse o Pontífice, entreguemo-nos ao Espírito Santo pedindo-Lhe para que nos ajude a perseverar na fé. O espírito infunde audácia no coração dos crentes , dá a nossa vida e ao nosso testemunho cristão a força de convicção e da persuasão; encoraja-nos a vencer a incredulidade em Deus e a indiferença para com os irmãos.

Que a virgem Maria, concluiu dizendo Francisco, nos torne cada vez mais conscientes da nossa necessidade do Senhor e do seu Espírito: infunda em nós uma fé forte , cheia de amor e de um amor capaz de se transformar numa corajosa súplica à Deus.

Após a recitação da oração mariana do Ângelus, Francisco rezou juntamente com os presentes na Praça de S. Pedro, uma Ave-Maria em homenagem às vítimas dos atentados terroristas que nestes dias causaram numerosos mortos e feridos em Burkina Faso, na Espanha e na Finlândia. Rezemos, disse o Santo Padre, por todos os defuntos, para os feridos e para os seus familiares, e suplicamos ao Senhor, Deus da misericórdia e da paz, de libertar o mundo desta desumana violência.

Finalmente Francisco saudou todos os presentes e de modo particular os membros da Associação francesa “Roulons pour l’Espoir”; os novos seminaristas e os seus superiores, do Colégio Norte Americano de Roma e o grupo dos adolescentes provenientes da cidade de Zevio em Verona(Itália). À todos Francisco augurou um bom domingo e pediu, que por favor, não esqueçam de rezar por ele.    

 

20/08/2017 18:05