Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ África

Novo Relatório UNCTAD: turismo africano cresce rapidamente

Nice Leng'ete, embaixadora no mundo da luta pelos direitos das mulheres africanas - ANSA

11/07/2017 15:36

Sinais de esperança a partir do último relatório da Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e o Desenvolvimento - UNCTAD - que examina o surpreendente crescimento do turismo no Continente Africano, de 1995 até hoje. Passou-se de 24 milhões de turistas aos actuais 58 milhões, contribuindo com cerca 8,5% do PIB africano. São precisamente os turistas africanos que alimentam este sector em crescimento, mas o relatório confirma que os visitantes internacionais estão em constante aumento, esperando que possam dar um forte contributo ao crescimento e desenvolvimento do continente. A Rádio Vaticano [Giulia Bedini] ouviu as declarações a este propósito de Enrico Casale, da revista "Africa" dos Padres Brancos:

Este relatório é particularmente interessante por três dados que ele fornece: o primeiro dado destaca que o turismo é um elemento de crescimento e riqueza para o continente, cujas potencialidades ainda não estão completamente exploradas e há outras oportunidades para desenvolvê-las. O segundo dado é que o turismo cria postos de trabalho, antes de tudo para os jovens e, de facto, 50% dos trabalhadores do turismo tem menos de 25 anos de idade; e, depois, o último dado interessante diz-nos que 47% dos trabalhadores do sector do turismo são mulheres. O turismo, portanto, não é apenas um elemento que pode produzir riqueza, mas também emancipação feminina.

O relatório fala também de um desenvolvimento e um crescimento inclusivo …

Creio que se fala de um fenómeno - a indústria do turismo - que cria coesão, no sentido de que o turismo é um elemento que, para se desenvolver, precisa de paz, mas ao mesmo tempo cria a paz. Os turistas, sobretudo aqueles que vêm do exterior, chegam em Países estáveis, pacíficos; ao mesmo tempo, criando desenvolvimento, o turismo cria automaticamente coesão entre as populações dentro dos Estados e entre diferentes Estados.

Portanto, este crescimento pode favorecer e até mesmo proteger as peculiaridades culturais e as tradições da sociedade africana?

Não só pode ser uma indústria que ajuda o desenvolvimento, mas também uma indústria que preserva as riquezas, com um factor de crescimento cultural para a população. Uma parte importante destes turistas são africanos: portanto, existe um turismo africano, e não apenas um turismo que vem do exterior, de fora do continente. Para estes turistas africanos é também uma forma de entrar em contacto com a própria cultura e cultivá-la. Portanto, o turismo é certamente um factor de crescimento.

Como se pode promover este turismo africano e o que se pode fazer mais?

Certamente, é importante a estabilidade dos Países: quanto mais um País for  estável, tanto mais ele atrairá o turismo. Vimo-lo com o exemplo do Egipto: ultimamente, com os problemas provocados pelas primaveras árabes e uma menor estabilidade, perdeu uma parte do seu turismo. Portanto, eu diria que antes de tudo é necessária a estabilidade. E depois, é fundamental a diversificação: o turismo não é apenas o turismo cultural e turismo relacionado com as férias, mas é também turismo comercial, porque desenvolvendo a economia, também se desenvolve o turismo dos operadores económicos. E depois, estão também outras formas: penso, por exemplo, no turismo médico, daqueles que vão para obter tratamento no estrangeiro. Portanto, uma pluralidade de turismos que devem ser recolhidos e interceptados, para promover o crescimento deste sector. (BS)

11/07/2017 15:36