Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Atividades

Semana do Papa de 3 a 9 de abril

Papa Francisco no Domingo de Ramos - AP

10/04/2017 09:26

Nesta “Semana do Papa” destaque para algumas mensagens de Francisco e o início da Semana Santa com a Missa de Domingo de Ramos.

Derrotar o flagelo do tráfico humano

Na segunda-feira dia 3 abril o Santo Padre enviou uma mensagem para a 17ª Conferência da Aliança contra o Tráfico de Pessoas que decorreu esta semana em Viena na Áustria. Na sua mensagem Francisco afirmou que é preciso derrotar o flagelo do tráfico humano assinalando que o tráfico de pessoas é o negócio mais próspero do planeta. O Papa apela a uma maior “consciencialização pública” sobre este problema e a uma melhor coordenação dos esforços “governamentais, legais, fiscais e sociais para resgatar milhões de crianças e adultos”.

Papa no Egito: dias 28 e 29 abril

Na terça-feira dia 4 de abril foi dado a conhecer pela Secretaria para a Comunicação do Vaticano o programa da visita do Papa ao Egito nos dias 28 e 29 de abril. Destaque para o facto de estar previsto um discurso de Francisco na Conferência Internacional sobre a Paz.

50 anos da Encíclica “Populorum Progressio”

Na terça-feira dia 4 de abril o Papa encontrou-se com os participantes no Congresso sobre os 50 anos da Encíclica “Populorum Progressio” do Beato Paulo VI. Um evento que também serviu para apresentar o novo Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral liderado pelo Cardeal Peter Turkson. Francisco sublinhou o conceito de desenvolvimento integral apontando que se trata precisamente de integrar todos os povos da terra; integrar a dimensão individual com aquela comunitária.

O Papa recordou que já Paulo VI escrevia que o desenvolvimento não se reduz a um simples crescimento económico: “O desenvolvimento não consiste em ter à disposição sempre mais bens, para um bem-estar somente material. Integrar corpo e alma significa também que nenhuma obra de desenvolvimento poderá alcançar realmente o seu fim se não respeitar o local em que Deus está presente em nós e fala ao nosso coração”.

Matrimónios para a Fraternidade Sacerdotal S. Pio X

Ainda na terça-feira dia 4 de abril o Papa decidiu autorizar os sacerdotes da Fraternidade Sacerdotal S. Pio X a celebrarem matrimónios para os fiéis que pertencem a esta comunidade. Sobre esta comunidade fundada por D. Marcel Lefebvre persiste ainda uma objetiva ilegitimidade canónica que, contudo, tem agora um gesto de abertura do Papa. No entanto, alguns assuntos essenciais continuam a ser entraves substanciais para a plena comunhão com esta Fraternidade Sacerdotal: os lefebvrianos continuam a não aceitar o Concílio Vaticano II, o ecumenismo e a liberdade religiosa.

A esperança é uma Pessoa, o Senhor Jesus

Na audiência geral de quarta-feira dia 5 de abril na Praça de S. Pedro o Papa Francisco afirmou que a esperança não é um conceito, não é um sentimento, não é um telemóvel, não é um monte de riquezas! A nossa esperança é uma Pessoa, é o Senhor Jesus que reconhecemos vivo e presente em nós e nos nossos irmãos, porque Jesus Ressuscitou.”

Reconhecer Jesus nos que sofrem

No Domingo de Ramos, XXXII Dia Mundial da Juventude, 9 de abril, o Papa celebrou Missa na Praça de S. Pedro. Francisco destacou um gesto que aconteceu na celebração: a passagem da Cruz dos jovens de Cracóvia, que organizaram a Jornada Mundial de 2016, para aqueles do Panamá que organizarão a Jornada Mundial da Juventude de 2019.

Na sua homilia o Santo Padre afirmou que Jesus quando entra na Cidade Santa de Jerusalém e é recebido em júbilo “não é um iludido que apregoa ilusões, um profeta «new age», um vendedor de fumo. Longe disso! É um Messias bem definido, com a fisionomia concreta do servo, o servo de Deus e do homem que caminha para a paixão; é o grande Paciente da dor humana” – sublinhou Francisco.

Na sua reflexão o Santo Padre pediu aos fiéis para pensarem no muito que Jesus sofrerá: “nas calúnias, nos ultrajes, nas ciladas, nas traições, no abandono, no julgamento iníquo, nas pancadas, na flagelação, na coroa de espinhos... e, por fim, no caminho da cruz até à crucificação” – disse o Papa.

O Santo Padre sublinhou que Jesus tinha dito aos seus discípulos: «Se alguém quer vir comigo, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me». Desta forma, Cristo não promete “honras nem sucessos” e deixa claro que “a vitória final passaria através da paixão e da cruz”. É, portanto, necessário pedir a Deus a graça de seguir Jesus não com “palavras mas com as obras”– declarou Francisco que salientou que Jesus “está presente em muitos dos nossos irmãos e irmãs que hoje” (…) “padecem tribulações como Ele: sofrem com o trabalho de escravos, sofrem com os dramas familiares, as doenças... Sofrem por causa das guerras e do terrorismo, por causa dos interesses que se movem por trás das armas que não cessam de matar. Homens e mulheres enganados, violados na sua dignidade, descartados....” – disse o Papa.

Na oração do Angelus Francisco rezou pelas vítimas de um atentado contra os cristãos no Egito que provocou 25 mortos e 40 feridos:

“Ao meu querido irmão, Sua Santidade Papa Tawadros II, à Igreja copta e a toda a querida nação egípcia expresso o meu profundo sentimento de pesar. Rezo pelos defuntos e feridos. Estou próximo dos familiares e de toda a comunidade. Que o Senhor converta o coração das pessoas que semeiam terror, violência e morte, e também o coração daqueles que fazem e traficam armas.”

E com o Angelus deste Domingo de Ramos no início da Semana Santa terminamos esta síntese das principais atividades do Santo Padre que foram notícia de 3 a 9 de abril. Esta rubrica regressa na próxima semana sempre aqui na RV em língua portuguesa.

(RS)

10/04/2017 09:26