Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Atividades

Semana do Papa no 4º aniversário do pontificado

Papa Francisco na Praça de São Pedro - AFP

20/03/2017 09:13

Nesta “Semana do Papa” no 4º aniversário do pontificado de Francisco destacamos a audiência geral, a celebração penitencial na Basílica de S. Pedro e o Angelus do III Domingo da Quaresma.

4 anos de Francisco

Na segunda-feira dia 13 de março o Papa Francisco completou 4 anos da sua eleição para a Cátedra de Pedro. Foi através do Instagram que o Santo Padre se referiu a este facto pedindo: “por favor, continuai a rezar por mim”.

Nesse dia 13 de março de 2013 um gesto marcou para sempre a atitude de Francisco para com o povo de Deus: o Papa inclinou-se para receber a oração do povo que pede a bênção de Deus. Um momento único, original e inovador, um primeiro grande sinal para um novo rumo que agora aqui recordamos:

“E agora eu gostaria de dar a bênção, mas antes… antes peço-vos um favor: antes de o bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis ao Senhor para que Ele me abençoe: a oração do povo que pede a bênção para o seu bispo. Façamos em silêncio esta oração de vós por mim.”

O trabalho dá dignidade

Na quarta-feira dia 15 de março na audiência geral na Praça de S. Pedro o Papa Francisco propôs mais uma catequese sobre a esperança cristã abordando desta vez a alegria de amar. O Santo Padre declarou que devemos amar como Deus ama, ou seja, sem hipocrisia.

Destaque nesta audiência geral para as palavras de Francisco a propósito da situação laboral dos funcionários de uma estação televisiva italiana que correm o risco de ficar sem trabalho. O Papa aproveitou para fazer um apelo em favor dos desempregados:

“O trabalho dá-nos dignidade. E os responsáveis pelos povos, os dirigentes, têm a obrigação de fazer de tudo para que todo o homem e toda a mulher possa trabalhar e, assim, possa ter a cabeça erguida e olhar os outros nos olhos, com dignidade. Quem por manobras económicas, para fazer negociações não completamente claras, fecha fábricas, fecha iniciativas empresariais e tira o trabalho aos homens, esta pessoa comete um pecado gravíssimo.” 

Reconhecer e confessar os pecados

Na sexta-feira dia 18 de março o Papa presidiu a uma Celebração Penitencial na Basílica de S. Pedro. Na homilia que proferiu o Santo Padre afirmou que o Sacramento da Confissão é “a estrada mestra que nos leva a reconciliarmo-nos com Deus misericordioso e com o próximo”. Francisco pediu aos participantes nesta celebração para dirigirem a sua oração a Cristo Bom Pastor confiantes na misericórdia de Deus Pai:

“Confiantes na misericórdia de Deus nosso Pai, reconheçamos e confessemos os nossos pecados. Dirijamos a nossa oração a Cristo Bom Pastor que vai à procura da ovelha perdida e trá-la com alegria ao ovil.”

O Papa começou por confessar-se como um simples penitente e depois atendeu a confissão de 7 fiéis leigos, 3 homens e 4 mulheres.

Papa visita o Egito a 28 e 29 de abril

O Papa visitará o Egito nos dias 28 e 29 de abril. A notícia desta viagem apostólica do Santo Padre foi oficializada neste sábado dia 18 de março pela Sala de Imprensa da Santa Sé. Francisco foi convidado pelo Presidente da República, Abad al-Fattah al-Sisi, pelos bispos da Igreja Católica, por Sua Santidade Tawadros II e pelo Imã da Mesquita de Al Azhar, Ahmed Mohamed el-Tayyib. A notícia é motivo de grande alegria neste país africano, sobretudo para a comunidade copta católica. Uma viagem importantíssima do Papa no próximo mês de abril.

Artífices de reconciliação

No Angelus de dia 19 de março o Papa Francisco, falando para cerca de 40 mil fiéis presentes na Praça de S. Pedro, sublinhou que o Evangelho do III Domingo da Quaresma apresenta uma das suas mais belas páginas: o diálogo de Jesus com a Samaritana.

Francisco recordou que esta passagem do Evangelho é mesmo para todos os fiéis e sublinhou que o tempo da Quaresma é uma boa ocasião para nos aproximarmos de Jesus:

“Este tempo da Quaresma é a ocasião boa para aproximarmo-nos d’Ele, encontrá-lo na oração num diálogo de coração a coração, falar com Ele, escutá-Lo; é a ocasião para ver o seu rosto também no rosto de um irmão ou de uma irmã que sofre. Deste modo podemos renovar em nós a graça do Batismo, saciar-nos na fonte da Palavra de Deus e do seu Santo Espírito; e assim descobrir também a alegria de nos tornarmos artífices de reconciliação e instrumentos de paz na vida quotidiana” – disse o Papa.

Após a oração mariana do Angelus Francisco saudou as comunidades neo-catecumenais de Angola e da Lituânia e também os responsáveis da Comunidade de Santo Egídio em África e na América Latina. Destaque para as palavras do Santo Padre pelas vítimas das enchentes no Peru:

“Quero assegurar minha proximidade à querida população do Peru, duramente atingida pelas devastadoras enchentes. Rezo pelas vítimas e por aqueles que estão envolvidos na prestação de socorro” – disse Francisco.

E com o Angelus deste III Domingo da Quaresma terminamos esta síntese das principais atividades do Santo Padre que foram notícia de 13 a 19 de março. Esta rubrica regressa na próxima semana sempre aqui na RV em língua portuguesa.

(RS)

20/03/2017 09:13