Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Atividades

Semana do Papa de 30 de janeiro a 5 de fevereiro

Papa Francisco na Festa da Apresentação do Senhor - AFP

06/02/2017 09:23

Nesta “Semana do Papa” destaque especial para a audiência geral, a celebração na Festa da Apresentação de Jesus no Templo e o Angelus do V Domingo do Tempo Comum.

Com os bispos da Sérvia, Montenegro, Macedónia e Kosovo

Na segunda-feira dia 30 de janeiro o Papa Francisco recebeu em audiência os bispos da zona balcânica reunidos em Roma em visita “ad limina”.

Estes prelados são os representantes das comunidades católicas presentes na Sérvia, Montenegro, Macedónia e Kosovo e que se organizam na Conferência Episcopal Internacional dos Santos Cirilo e Metódio. Vivem uma realidade de minoria em países onde a maioria é ortodoxa ou islâmica. O arcebispo de Belgrado, Stanislav Hocevar, falou à Rádio Vaticano:

“ O Santo Padre interessou-se vivamente em procurar um modo de nos ajudar, no que diz respeito às vocações sacerdotais e religiosas e sobre como podemos continuar a nossa missão no meio de todas estas dificuldades. Expressou-se no que diz respeito a tudo isto com belíssimo humorismo e com simplicidade e cordialidade, mas também com uma inspiração evangélica especial. Enriqueceu-nos muito: todos nós bispos estamos muito agradecidos.”

Esperança na ressurreição

Na quarta-feira dia 1 de fevereiro o Papa Francisco recebeu, em audiência geral, milhares de fiéis na Sala Paulo VI. Propondo mais uma catequese sobre a esperança cristã o Santo Padre afirmou que a esperança cristã na ressurreição é esperar em algo que já aconteceu radicado na ressurreição de Cristo. É como caminhar na direção de uma porta:

“ A esperança cristã é a espera de uma coisa que já foi cumprida e que certamente se realizará para cada um de nós. Portanto, mesmo a nossa ressurreição e aquela dos caros defuntos, não é uma coisa que poderá acontecer ou não, mas é uma realidade certa, enquanto radicada no evento da ressurreição de Cristo. Esperar, por conseguinte, significa aprender a viver na espera.”

Destaque nesta audiência geral para as palavras que Francisco dirigiu à delegação do Movimento Católico Mundial pelo Clima Global:

“Agradeço pelo compromisso em cuidar da nossa casa comum nestes tempos de grave crise socio-ambiental. Encorajo o Movimento a continuar a tecer redes a fim de que as Igrejas locais respondam com determinação ao grito da terra e ao grito dos pobres.”

Não abandonem os pobres

No mês de fevereiro, através do projeto “O Vídeo do Papa”, da Rede Mundial de Oração do Apostolado da Oração, o Papa Francisco exorta os cristãos de todo o mundo a privilegiarem a oração pelos mais pobres, os marginalizados, os deslocados e os refugiados:

“Não os abandonem. Rezem comigo por todos os que vivem na provação, sobretudo os pobres, os refugiados e os marginalizados; para que encontrem acolhimento e conforto nas nossas comunidades.”

Consagrados no meio do povo

Na quinta-feira, dia 2 de fevereiro, Festa da Apresentação de Jesus no Templo, naquele que é o Dia da Vida Consagrada, o Papa Francisco disse aos consagrados reunidos na Basílica Vaticana que a tentação da sobrevivência pode transformar-nos em profissionais do sagrado.

Na homilia da Missa, Francisco exortou os religiosos e religiosas a colocarem-se no meio do povo testemunhando Jesus com alegria e esperança:

“Sim, só isto poderá restituir-nos a alegria e a esperança, só isto nos salvará de viver numa atitude de sobrevivência. Só isto fecunda a nossa vida e manterá vivo o nosso coração. Meter Jesus lá onde deve estar: no meio do seu povo.”

Cultura da vida é resposta à lógica do descarte

No domingo dia 5 de fevereiro o Papa Francisco recitou a oração do Angelus da Janela do Palácio Apostólico e comentou a leitura do Evangelho de S. Mateus do V Domingo Tempo Comum.

Na sua reflexão Francisco recordou a missão confiada por Jesus aos seus discípulos no Sermão da Montanha. Essencial nas palavras de Jesus as metáforas da luz e do sal. Se vivermos na caridade e no amor a nossa fé não se apagará. Os cristãos devem dar “sabor à vida” atuando como sal da terra – disse Francisco.

Depois da recitação da oração mariana do Angelus o Papa recordou o Dia pela Vida que se celebrou em Itália neste domingo dia 5. Francisco considerou que esta iniciativa dos bispos italianos é uma “corajosa ação educativa” com o objetivo de que “ninguém seja deixado sozinho e o amor defenda o sentido da vida”:

“ Levemos em frente a cultura da vida como resposta à lógica do descarte e do abaixamento demográfico; estejamos próximos e rezemos juntos pelas crianças que estão em perigo de interrupção da gravidez, como também pelas pessoas que estão no final da vida.”

Destaque para as palavras de Santa Teresa de Calcutá recordadas por Francisco:

“ ‘A vida é beleza, admira-a; a vida é vida defende-a!’ “

“Seja com a criança que está para nascer, seja com a pessoa que está para morrer. Cada vida é sagrada!” – disse o Papa.

E com o Angelus deste domingo, terminamos esta síntese das principais atividades do Santo Padre que foram notícia de 30 de janeiro a 5 de fevereiro. Esta rubrica regressa na próxima semana sempre aqui na RV em língua portuguesa.

(RS)

06/02/2017 09:23