Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ África

Angola, Eleições 2017: Núncio Apostólico apela à ponderação nos discursos

Núncio Apostólico em Angola e S. Tomé, Dom Petar Rajic - RV

23/01/2017 15:01

Em agosto de 2017 devem ser realizadas as terceiras eleições depois do fim da guerra civil em Angola. No último pleito de 2012, o MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola) obteve a maioria com 71,8% dos votos.

Os maiores partidos da oposição, UNITA, CASA e PRS, vão procurar melhorar o seu resultado das últimas eleições gerais de 31 de agosto de 2012 onde os três partidos tiveram em conjunto menos de 30% dos votos.

O segundo partido mais votado foi a UNITA, União Nacional para a Independência Total de Angola, com 18,7%. A Convergência Ampla de Salvação de Angola-Coligação Eleitoral (CASA-CE) foi a terceira força política mais votada, com 6%. O PRS, Partido da Renovação Social, obteve 1,7% dos votos.

Entretanto em época eleitoral, os políticos devem passar uma mensagem de responsabilidade para o povo e o povo, por sua vez, deve respeitar as leis do país para manutenção da sã convivência, afirmou o Núncio Apostólico em Angola Dom Petar Rajic;

Neste momento decorre a segunda fase do processo de registo eleitoral com cerca de 7 milhões de cidadãos já registados, com vista às eleições gerais de 2017.

O representante do Santo Padre em Angola e São Tomé considera que o registo eleitoral é um acto cívico de participação na vida social do país, sendo que as eleições concorrem para a organização de qualquer sociedade.

De Luanda, para a Rádio Vaticano, Anastácio Sasembele, paz e bem. 

23/01/2017 15:01