Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ África

Refugiados gambianos chegam à Guiné-Bissau

Mais de 400 refugiados gambianos chegaram à Guiné-Bissau nos primeiros dias de Janeiro - REUTERS

12/01/2017 11:53

 Já atingiu a cifra de demais de 400, o número de refugiados em fuga da Gâmbia, que entraram na Guiné-Bissau entre os dias 06 e 09 deste mês, disse esta quarta-feira à Lusa o secretário-executivo da Comissão de Apoio aos Refugiados na Guiné-Bissau, Tibna Sambé Na Wana,que ilustrou a situação com base em dados fornecidos pela Nações Unidas na localidade guineense de São Domingos, a partir de registos feitos no posto fronteiriço de Djegue, que separa a Guiné-Bissau do Senegal. Guiné-Bissau não faz fronteira com a Gâmbia, por isso Sambe Na Wana admitiu que as pessoas vindas da Gâmbia estavam a entrar no território guineense a partir de outras localidades.

A Gâmbia vive um período de tensão e de agitação política com o aproximar da data limite fixada pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) para avançar com uma intervenção militar caso o Presidente Yaya Jammeh não abandone o poder. Entretanto Jammeh continua a recusar-se a deixar o poderapesar de a CEDEAO lhe ter dado até dia 19 deste mês de janeiro como data limite para sair do poder, depois do que poderia passar ao uso da força.

Esta terça-feira 9 de Janeiro Yahya Jammeh, acusou em Banjul, a existência de “ingerências estrangeiras sem precedentes” no seu país, e apelou a uma solução pacífica do contencioso eleitoral que tem com a oposição. A declaração do Presidente gambiano surge algumas horas depois que o Tribunal Supremo se declarou incompetente para decidir sobre o pedido de Jammeh de apreciar a questão da fraude eleitoral. Jammeh é de opinião que os gambianos podem reunir-se para encontrar uma solução, sem ingerência estrangeira.

12/01/2017 11:53