Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Missa em Santa Marta

Papa: o amor de Deus chora pela nossa infidelidade

Papa Francisco durante a Missa em Santa Marta - OSS_ROM

17/11/2016 12:01

Quinta-feira, 17 de novembro: na Missa em Santa Marta o Papa Francisco afirmou que o amor de Deus chora pela nossa infidelidade. O Santo Padre recordou Jesus que chora perante Jerusalém dizendo: “Porque tu não reconheceste o tempo em que foste visitada”.

Jesus chora e recorda a história do “seu povo”: faz memória dos passos de profetas como Oseias e Jeremias, quando expressam o amor de Deus por Israel. De um lado, este amor sem medidas e, do outro, “a resposta egoísta, desconfiada, adúltera e idolátrica do povo” – afirmou o Papa:

“É isso que faz doer o coração de Jesus Cristo, esta história de infidelidade, esta história de não reconhecer os carinhos de Deus, o amor de Deus, de um amor apaixonado que nos busca, que se preocupa com a nossa felicidade. Jesus viu naquele momento o que o aguardava como Filho. E chorou…”

O Santo Padre recordou a liturgia que há alguns dias atrás propôs uma reflexão sobre os três momentos da visita de Deus: para nos corrigir, para entrar em relação connosco e “para se convidar à nossa casa”.

Quando Deus quer corrigir, convida a mudar de vida. Quando quer falar connosco, diz: “Eu bato à porta e chamo.”. E a Zaqueu, para receber o convite, diz para descer da árvore. Também a nós Deus quer visitar e para tal temos que fazer um exame de consciência – observou o Papa:

“Cada um de nós pode cair no mesmo pecado do povo de Israel, no mesmo pecado de Jerusalém: não reconhecer o tempo no qual fomos visitados. E todos os dias o Senhor visita-nos, todos os dias bate à nossa porta” – disse o Santo Padre.

No final da sua homilia Francisco recordou Santo Agostinho que afirmava ter medo de Jesus quando passa, pois “tenho medo de não reconhecê-Lo”.

O Papa pediu ao Senhor que nos dê a “graça de reconhecer o tempo em que fomos visitados, somos visitados e seremos visitados para abrir a porta a Jesus”.

(RS)

17/11/2016 12:01