Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Europa

Itália: aumento do número de vítimas do terramoto

- AFP

25/08/2016 15:24

Accumoli - Itália - O forte terramoto de 6,2 graus de magnitude que devastou na madrugada desta quarta-feira várias zonas montanhosas do centro da Itália deixou pelo menos 247 mortos, 350 feridos e centenas de desaparecidos, segundos dados fornecidos até este momento, pela Protecção Civil Italiana.

 

O último boletim oficial, fornecido pela Protecção Civil Italiana na manhã desta quinta-feira, aponta 247 óbitos, contra 159 mortos informados na noite desta quarta-feira.

"É possível que o número de vítimas cresça", advertiu durante a tarde o chefe de governo italiano, Mateo Renzi, que percorreu a zona afectada e prometeu ajuda para as famílias gravemente atingidas pelo sismo.
               
As equipes de socorro trabalharam durante toda a noite, conscientes de que correm contra o tempo para encontrar e resgatar com vida pessoas ainda presas sob os escombros.
               
Segundo fontes da imprensa, dezenas de pessoas continuam desaparecidas e, provavelmente, estão  ainda sepultadas vivas.
               
Entre as vítimas fatais estão muitas crianças, além de uma família inteira - pai, mãe e duas crianças, que durante várias horas os socorristas tentaram salvar.
               
Dezenas de bombeiros e polícias voluntários trabalham incessantemente, sem descanso, nas pequenas localidades de Amatrice e Accumoli, na região do Lazio, e Arquata del Tronto, na região de Marcas.
                              
O tremor, que foi sentido em Roma e Veneza, acordou a população às 03h30 locais, e, desde então, foram registrados cerca de 200 abalos secundários.
               
O epicentro foi localizado perto de Norcia, uma cidade da região da Umbria, a 150 km de Roma.
Os feridos mais graves estão a ser levados à capital da província, Rieti, assim como a hospitais de Roma e Florença em helicópteros.
               
As autoridades decidiram mobilizar o Exército para os trabalhos de resgate, que são particularmente complicados por se tratar de pequenas localidades montanhosas, e para garantir a segurança da população de possíveis atos vandalismo por parte de ladrões.
               
Durante todo o dia, moradores e voluntários escavaram em meio a nuvens de poeira e inclusive com as próprias mãos as montanhas de pedras e pedaços de prédios e casas destruídas pelo terramoto.
               
Cães treinados para rastrear pessoas e celulares têm servido para localizar pessoas entre os escombros.
                           
Muitos turistas estavam na região para participar das festas organizadas todos os anos em Amatrice por ocasião da criação da famosa receita de espaguete.
               
"Os hotéis estavam todos lotados", explicou o prefeito.
               
Trata-se, porém, de uma das zonas com mais risco sísmico da Itália.

 

  

25/08/2016 15:24