Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Vaticano \ Atividades

Beatificação de Madre Crostarosa

- ANSA

19/06/2016 13:40

O Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, presidirá, neste sábado (18/06), em nome do Papa, à Santa Missa de Beatificação de Maria Celeste Crostarosa, fundadora da Ordem do Santíssimo Redentor.

Júlia, nome que recebeu no batismo, nasceu em Nápoles, em 31 de outubro de 1696. Era a décima de doze filhos de uma família cristã e nobre, de alta magistratura.

Aos 21 anos de idade, juntamente com sua irmã mais velha, Úrsula, e mais tarde, também sua irmã mais nova, Giovana, entra para o Carmelo de Marigliano. Em 21 de novembro de 1718, festa da Apresentação de Maria ao Templo, Júlia recebe o hábito religioso e  passa a se chamar Irmã Maria Celeste do Santo Deserto.

A seguir, descobre o mistério de Cristo, vivo em sua alma e escreve uma regra de pureza para si mesma, inspirada pelo Espírito Santo. Certo dia, depois da Comunhão, penetrada pelo Olhar divino, foi inspirada pelo Senhor, que lhe disse: “Quero que sejas mãe de muitas almas e, por teu intermédio, salvá-las”.

Em 1723, o Carmelo de Marigliano, onde vivia, foi extinto, obrigando Irmã Celeste a se transferir para o de Scala, onde realizou a missão que Deus lhe destinara: a fundação da Ordem do Santíssimo Redentor, em 1731, aprovada pelo Papa Bento XIV em 1750.

Esta Ordem religiosa tem o carisma de levar a "copiosa redenção" aos mais pobres como missionários, padres e irmãos da copiosa redenção.

Madre Maria Celeste foi amiga de dois grandes santos, venerados no mundo inteiro: Santo Afonso Maria de Ligório, doutor da Igreja e fundador da Congregação dos Missionários Redentoristas, e o redentorista, irmão Geraldo Majela.

Essa mística do século XVIII trabalhou com muita coragem entre os mais necessitados. Foi uma mulher forte, perseverante, enérgica, decidida. Soube dizer sempre "sim" a Deus. E quando necessário soube dizer "não" aos homens, inclusive aos homens da Igreja. Sua mensagem, sobretudo sua mensagem eucarística, não é reservada somente aos contemplativos, mas a todos os cristãos.

A nova bem-aventurada faleceu em Foggia, em 14 de setembro de 1775. Seu processo de beatificação teve início em 1987. 

Os cerca de 600 membros da Ordem do Santíssimo Redentor estão presentes em todos os continentes, inclusive no Brasil, e, nos últimos anos, teve uma rápida expansão nos países leste europeu.

(MT)

 

19/06/2016 13:40