Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ África

Exercícios do "Saharan Express " nas águas de Cabo Verde

Droga - EPA

20/04/2015 20:02

 

O ministro da Defesa Nacional e Assuntos Parlamentares, Rui Semedo, disse hoje que Cabo Verde ainda não é considerado um país de tráfico de drogas, mas sublinhou que essa é uma realidade que não pode ser escamoteada.

Rui Semedo que falava aos jornalistas na cerimónia de abertura do exercício Saharan Express, que decorre de hoje até 27 nas águas cabo-verdianas, afirmou que Cabo Verde e o oceano atlântico são “pontos onde circulam muita droga vindo do sul do atlântico com destino a outros países designadamente da Europa.

Contudo, adiantou, que neste momento começa a surgir também a preocupação com a parte da droga traficada que fica em Cabo Verde.

Para além do tráfico de drogas, no corredor de atlântico, onde se encontra Cabo Verde vive-se também outras ameaças designadamente o tráfico de pessoas, armas, pirataria marítima e o terrorismo, e tem o país, salientou o desafio de enfrenta-las e vencê-las.

Para tal são necessários meios que o país ainda não dispõe, tanto humanos como técnicos e é por isso que conta com os meios da cooperação para enfrentar as ameaças e os desafios.

O exercício Saharan Express destina-se, sobretudo, a fiscalizar e detectar ameaças como pirataria, pesca e emigração ilegais, tráfico humano e de armas, poluição ambiental e terrorismo.

A cerimónia de abertura do exercício contou com a presença do embaixador dos Estados Unidos de América em Cabo Verde, que destacou parceria sólida e durarouda de Cabo Verde no combate aos tráficos ilícitos

De carácter multi-funcional, o exercício decorre nas águas de Cabo Verde envolvendo nove países dignadamente Cabo Verde, Portugal, Mauritânia, Senegal, Marrocos, França, EUA, Espanha e Turquia, que estarão distribuídos em duas áreas operacionais, nomeadamente a fronteira entre a Mauritânia e o Senegal, e Cabo Verde.

Na área operacional de Cabo Verde, que será controlado a partir do Centro de Operações de Segurança Marítima (COSMAR), estarão envolvidos no exercício quatro navios, duas aeronaves e duas equipas de abordagem.

(Rádio Nova, Emissora católica de Cabo Verde) 

20/04/2015 20:02